Carregando Eventos

« Todos Eventos

Com shows de Chico Bronw e Maglore e mais atrações da arte, teatro e dança, vem aí o mês de dezembro no CCJ

01/dezembro às 10:00 - 16/dezembro às 22:00

O Centro Cultural da Juventude encerra a programação de 2018 no dia 16 de dezembro, mas até lá teremos dias de muitas atividades culturais. Leia com atenção, escolha seu programa favorito e vem pro CCJ. Ah, e 2019 vem com tudo!!

CONSCIENTIZAÇÃO
Dia Mundial da Luta contra a Aids
Quando: 1º de dezembro
Onde: Área de Convivência
Horário: das 17h às 19h30
Classificação Indicativa: Livre
Descrição: O CCJ recebe uma programação com exibição de filme com a temática HIV/Aids, Boa Sorte, de Carolina Jabor, seguida de uma roda de conversa sobre conscientização e prevenção da doença. Ambas as atividades fazem parte do Programa Municipal de DST/Aids.

TEATRO
Severina – Circuito Municipal de Cultura
Quando: 1º de dezembro, às 20h
Dia 2 de dezembro, às 18h
Onde: Anfiteatro
Classificação Indicativa: 16 anos
Autor: Will Damas
Direção: Naruda Costa
Descrição: Uma personagem: Severina. Uma decisão: a escolha pela morte como melhor condição de “vida”. “Severina” é a mais nova empreitada do Grupo Clariô de Teatro, e trata-se do fim da trilogia “Casa do Norte”, que iniciou com o espetáculo “Hospital da Gente” (contos do escritor Marcelino Freire) e seguiu com “Urubu Come Carniça e Voa” de Miro da Muribeca, ambos pernambucanos. “Severina” faz uma explícita analogia ao poema do escritor pernambucano João Cabral de Melo Neto: “Morte e Vida Severina”, sob um ponto de partida opositor ao que propõe o poeta em sua obra.

Momento do espetáculo “Severina” / Foto: Divulgação

MÚSICA
Coral da Gente
Onde: 4 dezembro
Horário: 19h30
Onde: Área de convivência
Sinopse: Para o CCJ, o Coral da Gente preparou um repertório magnífico e alegre, garantindo a sua diversão e entretenimento do início ao fim. O Coral mantém o seu alto padrão de excelência por meio dos trabalhos de voz e expressão corporal, transitando pelo universo das composições brasileiras e das obras internacionais do repertório popular e erudito. O Coral da Gente faz parte do Instituto Baccarelli, que nasceu em 1996 quando o maestro Silvio Baccarelli acompanhou pela mídia o incêndio em Heliópolis. Ele entrou em contato com uma escola pública da região e, para ajudar aquelas famílias, sugeriu ensinar música com instrumentos de orquestra a crianças e adolescentes da comunidade. O Instituto Baccarelli é uma organização social sem fins lucrativos, que atende anualmente e gratuitamente mais de 1 mil crianças e jovens, a partir dos 4 anos de idade, em situação de vulnerabilidade social, especificamente da comunidade de Heliópolis.

Coral da Gente / Foto: Talitha Arruda

MÚSICA INFANTIL
Biblioteca Viva – Carlos Navas – Chico e Vinicius para crianças
Quando: 06 de dezembro
Onde: Biblioteca
Horário: 15h
Classificação indicativa: Livre
Duração: 50 min
Descrição: Carlos Navas tem 22 anos de carreira e dez discos lançados, dois dos quais infantis. “Algumas Canções da Arca..” (2004) e “Canções de Faz de Conta” (2007). Neste espetáculo, apresenta um passeio lúdico pela beleza das canções do Poetinha Vinícius de Moraes eternizadas na série “Arca de Noé”, dos anos 80 e pela obra que Chico Buarque dedicou às crianças. Cantando para os pequenos, já foi visto em palco por mais de 250 mil pessoas desde sua estréia, em 2004. Clássicos como “A Casa”, “O Pato”, “Ciranda da Bailarina” e “História de Uma Gata” são alguns dos pontos altos deste espetáculo alegre e interativo. Ele será acompanhado pelo violonista Paulo Miranda.

Carlos Navas / Foto: Divulgação

MÚSICA
Tamo Junto – Quinta Independente
Quando: 6 de dezembro
Onde: Área de Convivência
Horário: das 20h às 21h30
Classificação Indicativa: Livre
Descrição: O grupo de samba Tamo Junto, da Zona Norte de São Paulo, foi fundado em 2008 e seu repertório traz sambas de raiz. Os integrantes do grupo e amigos de longa data começaram a tocar nas festas da empresa que trabalhavam. Com a repercussão que tiveram, migraram para bares, grandes festas e casas de shows. O Tamu Junto já se apresentou na Virada Cultural de 2016 e abriu shows para Almir Guineto, entre outras apresentações.

A banda Tamo Junto / Foto: Divulgação

INTERVENÇÃO ARTÍSTICA
Biblioteca Viva – Trovadores Literários
Quando: 8 de dezembro
Onde: Biblioteca
Horário: às 15h
Classificação indicativa: Livre
Duração: 40 min
Descrição: Em homenagem aos grandes clássicos da literatura mundial, o Núcleo Educatho traz para o público o universo dos antigos trovadores, artistas que passeavam pelas feiras e cidades improvisando e compondo cantigas e músicas. Três atores/músicos conduzirão a performance e utilizarão instrumentos como violão, sanfona, tambores e percussão, elaborando charadas e brincadeiras cantadas para que o público adivinhe os personagens e de qual histórias eles pertencem. Quando o personagem for descoberto o público ganhará um trecho do livro e isto estimulará o contato com as obras em si, além de um novo olhar sobre esses clássicos da literatura.

Trovadores Literários / Foto: Divulgação

PERFORMANCE
Risco Festival – Tribunal dos Animais
Quando: 8 de dezembro
Onde: Mirante
Horário: às 17h
Direção artística: Catherine Baÿ
Classificação Indicativa: Livre
Descrição: A intervenção urbana estreou em maio de 2018 na Escola de Belas Artes de Paris e conta com a participação de performers brasileiros, por meio de uma oficina de criação com a artista Catherine Bay. Os performers vestem máscaras que fazem referência a fábulas conhecidas e circulam pelo espaço a pé, até iniciar uma plenária pública, em forma de áudio-peça. O trabalho trata da decadência da democracia e foi criado em colaboração com o artista sonoro brasileiro Dudu Tsuda.
Catherine Baÿ vive e trabalha em Paris. Estudou teatro com grandes mestres como Jacques Lecoq e Philippe Gaulier e dança com Philippe Decouflé. Passou cerca de 10 anos desenvolvendo seu trabalho como coreógrafa e diretora, levando esta experimentar para diferentes formas como coreografia, performance, direção, vídeo e cabaret. Desde 1994 desenvolve uma série de trabalhos que abordam códigos de representação.

Tribunal dos Animais / Foto: Divulgação

DANÇA
Dança: Forma, Técnica e Biodiversidade da Vida
Quando: 8 de dezembro
Onde: Arena
Horário: das 18h às 20h
Classificação Indicativa: Livre
Descrição: O projeto do grupo Identidade e Movimento contribui para o entendimento da biodiversidade da vida, considerando todas as suas formas, assim como os genes contidos em cada indivíduo e a inter-relação ou ecossistemas. São dois espetáculos, a começar por “Escravos da Vida”, que tem o intuito de ilustrar coreograficamente fatos do nosso cotidiano que são similares à história da colonização forçada, como preconceito, pobreza, discriminação com a mulher preta e o fascismo político. Já o espetáculo “Marionetes Humanas” trata sobre a manipulação e sua forma de agir para que todos se mantenham alienados, desprovidos de inteligência e discernimento da informação.

Grupo Identidade e Movimento / Foto: Divulgação

MÚSICA
Maglore – Sábado é Rock
Quando: 8 de dezembro
Onde: Anfiteatro
Horário: das 20h às 21h30
Classificação Indicativa: 16 anos
Descrição: Maglore é uma banda de rock alternativo e psicodelia de Salvador, formada por Teago Oliveira (voz e guitarra), Felipe Dieder (bateria), Lelo Brandão (guitarra e teclado) e Lucas Oliveira (baixo e voz). O grupo é conhecido por misturar referências estéticas antigas, entre os anos 70 e 80, e mais modernas, sempre alinhadas a canções pop dançantes. A banda está em turnê do seu quarto álbum, “Todas as Bandeiras”, lançado em 2017, eleito pela crítica especializada um dos melhores discos do ano. Uma de suas canções, a “Ai, Ai”, fez parte da trilha sonora de “Malhação”.

Banda Maglore / Foto: Divulgação

MÚSICA
Folclore a 4 Vozes em um só Coração
Quando: 9 de dezembro
Onde: Itinerante pelo CCJ
Horário: às 17h
Direção e interpretação: Rodrigo Caffer
Classificação Indicativa: Livre
Descrição: A sereia do futuro chega na cidade trazendo um recorte de canções do folclore brasileiro e de domínio público. Se no passado a sereia seduzia para as profundezas do mar com encanto, numa atualização​ ela passeia e oferece diversas cores dos seus sons em meio aos espaços urbanizados e seus fluxos. Nesta performance há ainda caixinhas de som e fones de ouvido, ventiladores, redes de dormir e, claro, instrumentistas. A proposta tem caráter itinerante e funciona através do trânsito por diversos espaços onde há diálogo com a música. Com música perform​ática​ por Andreza Aguida e mais o músico Giovani di Ganzá e arte de Tiago Oliveira.

Sereia do Futuro / Foto: Fernanda Abreu

MÚSICA
Chico Brown
Quando: 9 de dezembro
Onde: Anfiteatro
Horário: às 18h
Classificação Indicativa: 16 anos
Descrição: Em sua tour de estreia, o compositor, multi-instrumentista, cantor e filho de Carlinhos Brown explora em seu repertório a intersecção cultural entre as cidades de Salvador e Rio de Janeiro e o diálogo com a música de todo o mundo. O show de Chico Bronw traz um apanhado de versões e abordagens experimentais de clássicos renomados, peças instrumentais e canções autorais inéditas de Chico, reverenciando suas influências familiares e artísticas. O show apresenta também “Massarandupió”, valsa composta por ele com letra de seu avô Chico Buarque.

Chico Brown / Foto: Divulgação

DANÇA
Família Herrera – Uma Viagem pela Cultura Cigana
Quando: 12 de dezembro
Onde: Anfiteatro
Horário: das 20h às 21h30
Classificação Indicativa: Livre
Descrição: O grupo Família Herrera é composto por alunos da escola prof. Esmeralda Morais, da Casa de Cultura da Freguesia do Ó e da Fábrica de Cultura de Vila Nova Cachoeirinha. Durante os ensaios do espetáculo de 2017, criou-se uma grande afinidade entre os membros enquanto ensaiavam a coreografia “El Muerto Vivo”, do músico Peret, cujo personagem principal inspirou o nome do grupo. Amantes do estudo da cultura cigana, possuem coreografias tradicionais e criativas. O grupo é formado por Carmen Toledo, Cícera Kersch, Djulie Paoli, Inês Rodrigues, Lúcia Gomez, Rogério Arcari e Sérgio Toledo.

Família Herrera / Foto: Divulgação

CIRCO
Biblioteca Viva – Truques, Trapaças e Tramoias
Quando: 13 de dezembro
Onde: Biblioteca
Horário: 15h
Classificação indicativa: Livre
Duração: 40 min
Descrição: Nesse projeto os palhaços e mágicos convidam Fernando Sampaio para conduzir o espetáculo “Truques, Trapaças e Tramóias”. Com entradas circences como: “A Vidente atiradora de Facas”, “A Cabeça que Cai”, “O Corpo Partido ao Meio”, acrobacias cômicas e diversas reprises clássicas que já encantam plateias desde o surgimento do circo. Este espetáculo busca arrancar não apenas gargalhadas, mas um questionamento do ser humano e seu lugar no mundo.

Truques, Trapaças e Tramoias / Foto: Divulgação

MÚSICA
Samba do Congo – Quinta Independente
Quando: 13 de dezembro
Onde: Área de Convivência
Horário: das 20h às 21h30
Classificação Indicativa: Livre
Descrição: A Frente de Resistência Cultural Samba do Congo Morro Grande nasceu em 2011 com objetivo de difundir, valorizar e incentivar a arte por meio da música, em especial do samba autentico, resgatando a raiz do samba paulista e a cultura afro-brasileira. Promove a inserção social e cultural por meio da história deste gênero genuinamente brasileiro. No Samba do Congo, a inspiração e participação dos frequentadores são incentivadas de maneira a compor novos sambas, além de atuar como agentes multiplicadores de conhecimento. O grupo traz ao CCJ seu show que valoriza o samba de raiz.

Samba do Congo / Foto: Divulgação

DANÇA E MÚSICA
You Can Beat The King
Quando: dias 13, 14, 15 e 16 de dezembro
Onde: Alameda (abertura), arena e anfiteatro
Horário: 19h30
Classificação Indicativa: Livre
Descrição: You Can Beat the King tem como objetivo valorizar as danças urbanas em São Paulo e relembrar os 12 anos de atividades voltadas à dança no Centro Cultural da Juventude, reunindo profissionais que atuam e que já passaram pelo importante espaço cultural da Zona Norte. No roteiro, alimentação com preço acessível, workshops de danças, música ao vivo e batalhas de grupos musicais, dançarinos e bboys.
Programação:
13/12 das 18h às 22h – Abertura
14/12 das 18h às 22h – WORKSHOP Cypher
15/12 das 10h às 22h – Qualificações e batalha de MC e show ao vivo
16/12 das 10h as 18h – finais das disputas e show ao vivo

TEATRO
Não Repare na Bagunça
Quando: 14 de dezembro
Onde: Anfieatro
Horário: 20h
Direção: Thiago Silva
Classificação Indicativa: 16 anos
Descrição: A companhia teatral Samá Elyon foi fundada em 2011 por jovens da Vila Brasilândia com o intuito de juntar saberes e talentos de diversas linguagens artísticas, com foco no teatro, música, artes visuais e literatura. A companhia já passou por vários endereços, como a Fábrica de Cultura da Brasilândia, a Escola Estadual República da Colômbia, a ONG Clube de Mães do Jardim Vista Alegre e Casa Cultura do Tremembé, até se fixar no Centro Cultural da Juventude, em 2016. O Espetáculo “Não Repara na Bagunça” é uma comédia que brinca com as adversidades do contemporâneo. Por meio de esquetes, a peça trata de assuntos atuais com bom humor e sátira, inspirada no mundo dos memes, mas trazendo também temas como racismo, machismo e homofobia. O Espetáculo teve a orientação de Juliana Birschal durante a edição de 2018 do Programa Vocacional.

O Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso está localizado na Avenida Deputado Emílio Carlos, 3641, Vila Nova Cachoeirinha – a 20 minutos do Terminal Barra Funda e ao lado do Terminal Cachoeirinha. Siga a gente em facebook.com/CCJuventude e Instagram e Twitter @ccjuventude.

MÚSICA
Tarde Reggae – Planta & Raiz e mais atrações
Quando: 15 de dezembro
Horário 15h (pocket show)
Onde: Anfiteatro
Classificação Indicativa: 16 anos
Descrição: A Tarde Reggae traz ao Centro Cultural da Juventude a consagrada banda Planta & Raiz para um pocket show, além de DJ Set de Dubalizer, exposição e live painting com o grafiteiro Bonga e participação de Marcelo Gugu.

Sobre o Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso
O CCJ é o maior centro público dedicado aos interesses da juventude da cidade de São Paulo. Inaugurado em 27 de março de 2006, fruto da mobilização da comunidade no Orçamento Participativo, inspira outros centros de referência de juventude pelo Brasil e pelo mundo. Proporciona a transversalidade das diversas temáticas relativas à vivência da condição juvenil por meio da cultura, buscando o empoderamento e o protagonismo da juventude a partir de uma programação cultural gratuita e diversificada, tendo o jovem não somente como espectador, mas como sujeito promotor, organizador e realizador dos Programas e Projetos realizados tanto no espaço como difundidos pela cidade. Entre as várias atividades, destacam-se apresentações e oficinas teatrais, shows de música, aulas e espetáculos de circo e de dança, cinema, debates, encontros e saraus e núcleos de comunicação comunitária e de produção audiovisual.

Com shows de Chico Bronw e Maglore e mais atrações da arte, teatro e dança, vem aí o mês de dezembro no CCJ