Por Juliana Pithon
Reportagem publicada na edição de setembro da revista “Em Cartaz”

Nos dias 16 e 27 de setembro, o palco do CCJ recebe duas vozes que representam a cena da nova música popular brasileira!

Filipe Catto

Filipe Catto nasceu no interior do Rio Grande do Sul, mas foi em Porto Alegre, quando ainda era adolescente, que começou a cantar em bares. Já no início da carreira profissional, aos 22 anos, sua música Saga fez parte da trilha sonora da novela Cordel Encantado, na TV Globo. Até hoje, a trajetória artística do cantor soma três álbuns lançados, turnês internacionais e diversos prêmios.

Em 2017, como marco dos 10 anos de carreira e 30 de idade, lançou o álbum CATTO, que mostra uma nova proposta de estética musical. “O disco nasceu do meu novo percurso de experimentação do mundo, quando muitas mudanças estavam aparecendo na minha vida. Ele é dedicado à criança que fui e ao velho que serei. Durante o processo de criação, eu descobri que o que eu estava buscando estava dentro de mim”, explica o cantor.

No dia 16, ele traz ao CCJ sua turnê “O Nascimento de Vênus”. Dançante, com sons eletrônicos e sintetizados, além de passar pelas canções do álbum recém-lançado, o repertório também inclui sucessos anteriores, como Adoração e Do Fundo do Coração.

Filipe Catto / Foto: Divulgação

Aíla

Aíla nasceu em Belém do Pará e cresceu ouvindo música brasileira. Assim como Filipe, a cantora começou a carreira em bares e, aos 20 anos, lançou o primeiro disco, “Trelêlê”, que mistura ritmos populares nortistas, como carimbó e brega, a uma sonoridade mais moderna. Ao se mudar para São Paulo, arriscou novas criações e conexões quando lançou seu segundo álbum, “Em Cada Verso um Contra-Ataque”. “O disco reflete minha origem, meus anseios, minhas inquietações, minha vontade de mostrar um Pará mais político, mais ‘artivista’, que cutuca, faz dançar, é pop e é reflexivo também”, conta a cantora.

No meio das novas experimentações, o Pará sempre está presente. Um dos sucessos do disco é a lambada eletrônica “Lesbigay”, feita em parceria com Dona Onete, que fala sobre amor e amor próprio. No dia 27, Aíla se apresenta no CCJ e canta tanto essa música como todas as outras do álbum recém-lançado.

Aíla / Foto: Divulgação

Um sobre o outro

Catto e Aíla se conheceram em 2016, em Belém do Pará, no Se Rasgum, um dos maiores festivais de músicas do Brasil. Para ele, a cantora é uma artista requintada e intérprete maravilhosa. “Aíla é uma mulher de muita garra. Ela usa o dom, a voz, a arte e a sofisticação em nome de uma coisa muito nobre, que é o bem comum e o amor.”

Já para ela, Catto é um grande intérprete. “Tem uma energia avassaladora no palco e fora deste. Gosto de artistas inquietos como ele, que estão sempre em busca de reinvenções, é atento, cuidadoso, exuberante. A gente representa uma geração que não se cala, que causa incômodo por não ser óbvia. Fico muito feliz e honrada de sermos contemporâneos. Um ser de luz, mutante e transformador.”

Apresentações
Filipe Catto. Arena. Dia 16, domingo, 18h. Grátis!
Aíla. Anfiteatro. Dia 27, Quinta, 20h30. Grátis!
Lembrando que os convites serão distribuídos uma hora antes do show. Apenas um por pessoa, e só serão validos até 10 minutos depois do começo do show.

O Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso está localizado na Avenida Deputado Emílio Carlos, 3641, Vila Nova Cachoeirinha – a 15 minutos do Terminal Barra Funda e ao lado do Terminal Cachoeirinha. Telefone: (11) 3343-8999.

Filipe Catto neste domingo e Aíla no dia 27: do Sul ao Norte, atrações imperdíveis no CCJ. Confira a entrevista!
Classificado como:                

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *