O projeto Terça Afro tem um histórico de 6 anos atuando na Zona Norte com temas ligados às questões raciais, além de ser um espaço possível de troca, acolhimento e compartilhamento de ideias. Para comemorar seus 6 anos, promove um dia inteiro de ações conectadas entre o Centro Cultural da Juventude e o Quilombo Terça Afro. Como direção na filosofia do adinkra Sankofa (Nunca é tarde para voltar e apanhar o que ficou atrás), trabalha observando o passado e ressignificando o presente. As atividades acontecem no sábado, dia 11 de agosto, no Centro Cultural da Juventude e na filial do Terça Afro, que fica na Rua Antonio Botto, 212, na Vila Nova Cachoeirinha. Confira as atrações, locais e horários!

11h – Espetáculo Trupe Liuds – Mjiba a Boneca Guerreira (Mirante do CCJ)
A cia Trupe Liuds surgiu em 2006 para difundir a arte circense na periferia de SP. É uma companhia composta por palhaços negros, que através da linguagem lúdica recriam a realidade cotidiana e desperta o imaginário. A Cia Trupe Liuds tem como sede a Comunidade Cultural Quilombaque, que atua no bairro de Perus desde 2005 de forma independente e autônoma, proporcionando oportunidades culturais e de lazer.

13h – Abertura roda de Jongo Sambaqui (Mirante do CCJ)
O Sambaqui é um grupo formado por pessoas de formação diversificada, que têm como principais atividades a pesquisa e a vivência de manifestações da cultura tradicional afro-brasileira da região sudeste, tais como samba de bumbo, jongo e batuque de umbigada. Porém, o Sambaqui busca uma vivência não apenas imitativa, mas criativa dessas práticas culturais. Além de melodias tradicionais, o grupo mostra diversas composições próprias e muitas vezes brinca com o improviso de versos, sempre ao som de belos tambores construídos artesanalmente por integrantes do grupo.

14h – Roda de Conversa com Ana Paula Xongani e a Danna Lisboa (Espaço Sarau do CCJ)
Ana Paula Xongani é bacharel em design, sócia-fundadora e estilista da Xongani, um ateliê de moda afro-brasileira criado e gerenciado exclusivamente por mulheres e com o propósito de proporcionar autoestima e visibilidade aos corpos das mulheres negras a partir de uma estética que lhes é própria. Ana Paula Xongani atua também como influenciadora digital.

Ana Paula Xongani / Divulgação

Danna Lisboa venceu diversos prêmios na cena LGBT com a arte drag. Fez cursos de ballet, break, contemporâneo, dancehall, hip hop, house, jazz, vogue e waacking. Integrou um dos grupos mais respeitados da cena, Ritmos B.A.S.E., ficando em 1º lugar no festival Meeting Hip Hop em 2012. O primeiro EP de Danna Lisboa é um trabalho conceitual que traz variedade de estilos como R&B, hip hop, rock, ragga e música eletrônica.

Danna Lisboa / Divulgação

16h – Cortejo para Terça Afro (Concentração no CCJ – Calçadão Douglas Rodrigues)
Zumbiido é uma tribo afroascendente com jovens pretos e pretas de diversas áreas da produção. Abstratamente, é a verbalização do levante negro ao aliar a figura mítica imortal do líder revolucionário Zumbi dos Palmares às ações inspiradas por seu propósito.

Zumbiido / Divulgação

17h00 – Discotecagem – DJ K-MINA (Sede Terça Afro)
DJ K-mina está envolvida na música desde a infância, com pai músico e cantando em coral de igreja. Em 2010 participou do Projeto Hip Hop de Salto na escola E-Djs, no projeto da Crew Applebum.

17h45– Comunidade Samba do Maria Zélia com Luana Bayô (Sede Terça Afro)
Luana Bayô é cantora, compositora e intérprete. Nascida na Bela Vista e criada no Campo Limpo, zona Sul de São Paulo, se formou em Canto na antiga Universidade Livre de Música (ULM), aos 17 anos. Passou pela participação no CoralUSP e o Teatro Brincante, conduzido pelo multi-instrumentista Antônio Nóbrega, onde se formou como arte-educadora. A Comunidade Samba do Maria Zélia foi criada por amigos que sempre se reuniam no Espaço de Lazer da Vila Maria Zélia para comemorar aniversários e outras festividades, sempre com uma roda de samba. A partir de 2007 a festa cresceu até chegar a 500 pessoas em cada edição. Se tornou referência de comunidade e roda de samba. Hoje, com quase 10 anos de existência, recebe a cada mês grande músicos, sambistas, compositores e instrumentistas de toda parte do Brasil.

Luana Bayô / Divulgação

19h15 – Discotecagem – DJ K-MINA (Sede Terça Afro)

DJ K-Mina / Divulgação
Projeto Terça Afro comemora 6 anos com atividades entre o Centro Cultural da Juventude e sua sede na Zona Norte
Classificado como:                                

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *